Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



...

por Quadrada, Sábado, 08.10.11

Há certas situações na nossa vida que nos deixam magoados durante algum tempo. Estou a atravessar uma dessas situações, mas tenho plena noção que só estou tão em baixo porque é a primeira vez que me deparo com algo assim na minha vida. Provavelmente, vou passar por isso muitas mais vezes e já saberei lidar de maneira diferente, bem como não me irá afectar da mesma forma que está a afectar agora.

Sempre tive um problema muito grande, que é o facto de ligar muito ao que as outras pessoas pensam. É fácil virar-me para os outros e dizer-lhes para não ligarem ao que se diz, que o que importa é que estejamos bem com a nossa consciência, mas a verdade é que é mais fácil falar do que fazer e, quando nos toca a nós, dificilmente seguimos os nossos próprios conselhos.

O certo é que estou bem com a minha consciência, mas preocupa-me o que determinadas pessoas possam estar a pensar e que interpretações possam fazer de certas coisas que aconteceram. O processo de luto adapta-se a várias situações da nossa vida e esta é uma delas, embora eu tenha plena noção que é daquelas coisas às quais não devia dar tanta importância, especialmente quando as palavras saem da boca de quem não me interessa minimamente, mas é mais forte que eu. Estou magoada e triste e, apesar de os miminhos do namorado ajudarem muito nestas alturas (bem como o facto de as pessoas que me interessam saberem a verdade), o certo é que há ainda uma pontinha de tristeza em mim, que me faz dormir mal, comer pouco e rir ainda menos.

E isto é triste, vindo de mim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

7 comentários

De Fábio Raposo a 08.10.2011 às 21:28

Força ai amiga :)

De dolcescrittora a 08.10.2011 às 22:04

há sempre alguém que não gosta de nos ver felizes. Podia dizer-te para não ligares, tal como dizes a outros, como explicaste no texto, mas sinto o mesmo que tu e também sou assim, percebo o que dizes. Sinceramente, já perdi a esperança de algum dia deixar de ser assim, embora saiba que isso é possível. Agora só te posso dizer que essas palavras vão acabar por desaparecer do teu pensamento. Entretanto, sê forte. E estar com o namorado é o melhor que nos pode distrair :)

De Quadrada a 08.10.2011 às 22:10

Obrigda :)
Tens razão, é mesmo uma fantástica distração. A melhor de todas e a mais eficaz também :)

De Sara a 08.10.2011 às 23:10


Princesa, eu também era assim, e ainda sou um bocado, mas já estou a melhorar em relação a isso. E por muito que as pessoas me dissessem «não ligues, és muito superior» não me animava muito porque elas não sabiam aquilo que eu sentia, o quanto essas cenas me incomodavam. Aprendi a dar força a mim própria nessas situações, portanto não sei o que te dizer, uma vez que toda a gente tem a sua própria maneira de arranjar força e a minha deve ser diferente da tua, mas pronto, há que tentar.
É preferível fazeres as coisas à tua maneira e ouvires as críticas dos outros do que ficares presa ao que os outros querem que tu sejas e nunca te sentires livre. Sim, os outros podem deitar-te abaixo, sim, os outros podem meter-te medo, sim, os outros podem influenciar-te. Mas é preferível seres odiada pelos outros fazendo o que eles não querem do que odiada por ti própria por não fazeres o que o teu coração diz. Querem falar de  ti, que falem. Querem tratar-te mal, que tentem pôr-te mal. Tu sabes quem és. Sempre foste a Joana Rosa confiante, aquela que sempre pôs a Vanessa Hudgens ou lá como se escreve longe do Zac xD não pdes deixar que te digam como te deves sentir. Eu sei que falar é fácil, mas fazer e sentir não é impossível. Do fazes o que queres da tua vida e eles da deles. Infelizmente, tens que ouvir o que te dizem, mas não tens que sentir. Sempre que me dizem coisas que não quero ouvir, sorrio, chamo nomes a essa pessoa na minha cabeça e ouço uma músiquinha (sim, ouvir música dá força) e ignoro. Eu sem quem sou e o que quero da minha vida, e sei que não preciso dessas pessoas para fazer o que tenho a fazer. E tu também não. Tu tens um namorado que parece ser espetacular. Tens uma familia linda, que te adora e estás no curso que queres, na faculdade que queres. Tens amigos que se preocupam contigo e tens o teu rumo traçado. Nada do que te disserem vai mudar quem és, porque tens tudo bem definido.Não precisas dessas pessoas que te deitam abaixo. Tens que as aturar, mas daqui a uns tempos, seja um mês ou um ano ou o que for, nunca mais as vês, a tua vida vai ser diferente, como tu a desenhares. Cada pessoa segue o caminho que escolher, e os caminhos são todos diferentes, logo não vão interferir no teu. Mesmo que tenhas que aturá-los no presente, no futuro não vai ser assim.
Ouve, respeita-os porque não és como eles, mas vive a tua vida de forma a não teres arrependimentos, sê sempre tu própria mesmo que aches que vais ser criticada, porque pensa, se fores tu própria ninguém te pode dizer que estás errada porque ninguém sabe o que é seres tu. Como um amigo meu me disse «pára de impressionar os outros, impressiona-te a ti mesma».

Resumindo: se tens inimigos é bom, significa que enfrentaste algo pelo qual acreditas.A tua reputação não deve nunca ser mais importante do que a tua personalidade, porque uma é quem és e com quem tens que viver toda a vida, e a outra é  o que as pessoas pensam de ti. E o que elas pensam de ti é problema delas. Caga nisso e faz o que sentes.
Sabes que estou sempre aqui para nunca te julgar.

De Quadrada a 09.10.2011 às 00:15

Estou embasbacada com este comentário. Além de me teres feito sentir melhor, também me fizeste rir e olhar para as coisas de outra perspectiva.

MAIS UMA VEZ, cá estás tu para me surpreender pela positiva. És fantástica e ainda bem que existes, Sarocas. Obrigada!

De Sara a 09.10.2011 às 01:13


Ora essa, sabes que posso não estar contigo, mas isso não quer dizer que não me preocupe :)

A minha filosofia de vida é «Muda o que pode ser mudado, aceita aquilo que não pode ser mudado. A vida é passageira, vais morrer e ninguém vai saber se foste feliz ou não. Depois de morrermos, não vai importar o que fizemos. Mas enquanto estamos vivos importa e muito. Portanto, se algo não te faz feliz e não consegues mudar isso, ignora. Aproveita enquanto ainda estás vivo porque é quando ainda podes fazer algo. Não te chateies pelo que não importa, porque não importa agora nem vai importar daqui a cem anos. »
Até posso pensar de maneira errada em ignorar certas coisas que não devia, mas caramba, não adianta sofrer e adiar o prazer, porque hei-de morrer e depois? quando é que vou aproveitar a vida? Assim, adio a dor (se possivel para sempre).
Espero que te tenha ajudado, e sempre que precisares, fala aqui com a Chefe, que tem umas filosofias de vida muito estranhas mas que resultam, porque sinto-me diferente do resto do mundo e é assim que sou feliz. Posso ser estranha, mas se a alternativa a ser estranha é ser infeliz e ser igual às pessoas cheias de preconceitos, então que venha a loucura. E se te chamarem louca, grita bem alto: «Louco, sim louco porque quis grandeza.(...) Minha loucura outros que a tomem» (Fernando Pessoa)

De onesmileonelife a 09.10.2011 às 20:23

como te entendo minha querida...e sempre muito facil dizermos aos outros do que interiorizarmos nós próprios... custa muito muito, eu sei...


de qualquer forma um beijinho de muita muita força***

Comentar post