Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mais sobre mim

foto do autor




3. Carta para os teus pais

por Quadrada, Quinta-feira, 17.01.13

Como já escrevi para a minha mãe, vou dedicar esta carta apenas ao meu pai (ele merece). Então cá vai:

 

Papá,

Já lá vão quase 21 anos desde que eu apareci no mundo e, durante todos esses anos, as minhas memórias contigo são imensas. Ando atrelada a ti desde que me lembro de ser gente e isso tem alguma piada. Lembro-me de passear contigo para todo o lado, de estarmos sempre a tirar fotografias, de seres um chato a dizer para eu tomar conta dos meus irmãos...mas lá está, até quando me chateias não deixa de ter piada porque tu funcionas exactamente como uma criança. Amuas, tens ciúmes, choramingas...só que só agora é que percebi isso. Só agora, que já sou uma mulherzinha, é que entendi o porquê das mil e umas discussões que tinhas comigo antigamente, das restrições que me punhas, e embora ainda ache que não tinhas razão em todas e que grande parte foi um exagero, a verdade é que percebo. Como vês, não mudou nada. Não adianta tentares privar-me de sofrer, porque olha, faz parte da vida! E sofro de qualquer forma, porque é com isso que se aprende e eu estou no mundo precisamente com o propósito de aprender. Isso é algo que vai acontecer independentemente do que faças (essa é a má notícia), porque a verdade é que tenho que fazer as minhas próprias escolhas, ver o mundo com os meus olhos e bater com a cabeça muitas vezes. E não, ainda não acabou por aqui. Ainda vou bater mais vezes, mas não te preocupes porque fizeste-me forte e não me vou abaixo.

Com o passar do tempo, fui-me dando conta de que percebias as coisas mesmo quando tentava escondê-las. Antigamente não me apercebia disso, talvez por ser demasiado imatura e inexperiente. Agora já entendi, por isso é a tal frase do "eu sei que tu sabes que eu sei que tu sabes", então já desisti de te esconder seja o que for. Até porque, verdade seja dita, agora já não preciso de fazer isso. Tu ainda és ciumento e sinceramente acho que vais ser o resto da tua vida, mas pelo menos agora já sabes quando é que esses ciúmes têm fundamento. Não te preocupes, que o primeiro vais ser sempre tu e mais nenhum te vai chegar aos calcanhares.

Aliás, não quero nenhum que não goste de ti, que diga mal de ti ou que não seja teu amigo. Vens atrelado a mim, fazes parte do pacote e portanto eles são obrigados a gostar de ti, ponto final. E não te vou mentir, quando tiver que te apresentar alguém como meu namorado oficial, vou estar a tremer que nem varas verdes. Não é por medo que reajas mal porque sei que isso não vai acontecer, dado que a única coisa que queres é que eu esteja bem, com alguém que me faça igualmente bem. Só que vou estar nervosa porque quero que o aproves e que aches que eu estou bem entregue. E isso é importante para mim porque o homem da minha vida és tu, és o topo da fasquia, e gostava muito que ficasses satisfeito com o teu sucessor. Espero que fiques quando esse dia chegar.

Sentimentalismos à parte, sei que vou ser sempre pequenina aos teus olhos e que tu também vais ser sempre um herói aos meus. Admiro-te muito pela família que construíste (a ti e à mãe, claro). Com o passar dos anos fui percebendo que temos muita sorte por sermos tão amigos uns dos outros, por nos darmos tão bem e por haver tanto amor e alegria em nossa casa. Isso é precioso e acredito que é a main reason pela qual eu e os meus irmãos somos naturalmente felizes, sem precisarmos de grande coisa para isso. Crescemos no meio da felicidade e isso nota-se. Então obrigada por tudo!

Amo-te muito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

2 comentários

De VeraPinto a 17.01.2013 às 13:56

Oh que texto tão lindo ;)


O teu pai ficará muito orgulhoso se ler isto :) E já soubeste que stás em destaque??? Parabéns :D

De Quadrada a 17.01.2013 às 22:50

É bem capaz de ficar :D
E ja vi, sim, obrigada :p

Comentar post