Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Ele é cromo dos Ídolos...e cromo por natureza também.

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desabafo #

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

É incrível como as razões de não querer estar em Coimbra se tornaram nas razões de querer desesperadamente voltar para lá.

É incrível e triste, mas pelos vistos é assim que as pessoas preferem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desabafo #

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

Todos os dias a acordarem-me com aquela porcaria. Todos os dias a ouvir aquele barulho.

Avisei uma vez. Avisei Duas. Avisei três. Continuou tudo igual.

E hoje...

Ups...! Partiu!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Desabafo #

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

She was a witch, as Harry knew, with prodigious skill and no conscience.


Autoria e outros dados (tags, etc)

Sabes que ele é o tal...

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

...quando consegues falar com ele acerca de Fernando Pessoa e seus heterónimos, sendo que ele sabe tanto quanto tu sobre o assunto (o que costuma ser raro) e consegue identificar poemas e diferenciar Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos pelas suas ideologias e frases célebres.

 

Ai, como eu te amo.

Agora só falta converter-te ao Harry Potter.

Autoria e outros dados (tags, etc)

33 000 visitas

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

Ena.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Assim numa de Psicóloga, 'tájabêr?

por Quadrada, Sábado, 12.02.11

Há uns dias, uma blogger que costumava visitar o Caderno de Pensamentos quando ainda era um "bébé de colo" (não que agora seja muito adulto) contactou-me a pedir ajuda. Era presença diária no Caderno quando eu e o Babe demos um tempo (que, posteriormente, deu em ruptura) e depois esteve uma carga de meses sem passar por cá. Recentemente, voltou a visitar o meu cantinho e ficou a saber que eu e o Babe não só voltámos a namorar como estamos mais felizes que nunca. Até aqui tudo muito bem. O problema foi que, desta vez, era essa blogger quem estava a passar por essa situação: o namorado pedira-lhe um tempo uns tempos antes e agora terminou a relação. Ela, inconsolável e sem saber o que fazer, procurou auxílio em mim, não só porque já tinha passado pela situação, como pelo facto de ter sabido ultrapassá-la e ficar bem (ter voltado para o Babe foi um bónus para esse bem-estar, digamos assim).

A verdade é que, provavelmente pela minha queda para e pela Psicologia, tratei de responder-lhe o mais rapidamente possível. Ofereci-lhe toda a minha ajuda, falei imenso com ela, trocámos e-mails, números de telefone, expliquei-lhe tudo tim-tim por tim-tim...enfim, tratei de retirar o melhor da minha experiência, que foi a aprendizagem, e passar isso para ela.

Hoje reli algumas das coisas que lhe escrevi e comecei a pensar que, tal como ela (e eu, outrora), muitas mais raparigas estão provavelmente na mesma situação ou em algo semelhante. Por isso, peguei nas palavras que lhe dirigi e decidi transpô-las para aqui, dando acesso a qualquer pessoa, para que retirem (se assim for possível) essa ajuda das minhas palavras.

 

 

Olá, minha querida. Ao receber o teu comentário, fui invadida por uma grande tristeza porque sei perfeitamente o que estás a passar! Por outro lado, senti um niquinho de alegria (coisa pouca!) por perceber que podia ser útil, ajudar-te e talvez conseguir que passes por esta situação com o menor sofrimento possível.
Ao ler os teus desabafos em relação a este assunto no teu blog, revi-me completamente...a mim e aos erros que fiz! O primeiro erro (e o pior de todos!) que fiz e tu também estás a fazer é dizer "a culpa é minhaa, tenho que mudar, não sou boa o suficiente". Ficas já a saber que isso não é verdade. Podes ter errado, mas ele também errou de certezinha absoluta. Só que, sabes, dá-lhes um certo jeito que pensemos que somos nós as culpadas, porque quando assim é eles têm o controlo da situação e sabem que iremos submeter-nos a tudo só para tê-los de volta.

Primeiro que tudo, nunca penses que chorar, implorar que ele volte ou andar atrás dele é solução. Pelo contrário, só estás a afastá-lo mais. Se soubesse o que sei hoje, nunca na vida tinha andado atrás do meu namorado. NUNCA mesmo. (...) Não te estou a dizer que a solução passa por arranjares outro. Eu não planeei isso, e sei que magoei muito o meu namorado com essa situação, mas simplesmente aconteceu. Não te estou a dizer que tens que o fazer. Mas se tiver que acontecer, deixa acontecer!
Sobretudo, vive a tua vida! Segue em frente, aprende a viver sozinha porque só assim irás cicatrizar essa ferida. Se ele gostar mesmo de ti, então vai voltar quando te sentir escapar pelos dedos. Só que ele jamais terá saudades tuas se tu andares sempre atrás dele, percebes? Assim vais estar sempre presente e para ele vai ser facílimo estar sem ti. Fácil para ti jamais será, nunca acredites em quem te disser isso. Não é fácil. Mas pode ser menos difícil se seguires o que te estou a dizer. Não andes atrás dele.
Com calma e muito lentamente, vai-te afastando dele. Vai deixando de mandar mensagens, deixando de ligar. Vai parando de correr para atender o telefone quando ele liga e de lhe dar relatos completos do que fizeste durante o dia. Deixa-o sofrer, deixa-o sentir a tua falta e ficar na dúvida. Se ele souber tudo sobre ti, com quem andas, onde vais e o que fazes, então vai andar descansadíssimo...e, acredita, não é isso que queremos!
Mas não faças isto assim de repente, só porque te disse. Acima de tudo, tens que pensar em ti e tens que o fazer com calma. Leva isso como uma doença que tens que curar, vai fazendo as coisas devagar. Não desesperes. E se desesperares, não lho mostres.

Ele provavelmente agora vai fazer tudo o que puder para te provocar e magoar, mas isso é porque quer que andes atrás dele. O truque está em não te deixares provocar. Mesmo que te magoe, mesmo que estejas curiosa por saber alguma coisa, mesmo que queiras chorar, não faças cenas à frente dele. Não lhe perguntes nada da vida dele, não mostres ciúmes nem saudades, não andes atrás dele. Mostra-te sempre bem e feliz, mesmo que logo a seguir tenhas que ir chorar para o teu quarto. A verdade é que, como a intenção dele é afectar-te, o feitiço irá virar-se contra o feiticeiro. Ou seja, quando ele vir que não estás afectada irá ser ele a sentir-se descontrolado e sem saber o que fazer! Percebes?
Claro que falar é mais fácil, principalmente para quem está por fora. E não significa que tenhas mesmo que ficar com ele. Se calhar não tens! Mas o importante agora é tratares de ti. E mesmo que não fiques com ele, pelo menos ter-te-ás "curado" e terás passado por essa fase difícil com muito menos dor no coração! Ou então tens mesmo que ficar com ele e, se assim for, hás-de conseguir. (...)

 

Compreendo perfeitamente tudo o que me contas e, mais uma vez, revejo-me completamente. A verdade é que eu também continuei a agir como namorada depois de termos dado um tempo e hoje sei que o meu maior erro foi esse. Sempre estive lá quando ele queria, nunca disse que não, não lhe dava para trás, andava sempre atrás dele...isso só lhe deu mais confiança para agir como queria, porque a verdade é que ter-me atrás dele era uma coisa que lhe sabia bem e subia-lhe o ego (tal como nos subiria a nós caso eles andassem atrás de nós). Ainda ontem falei sobre esse assunto com ele e disse-lhe que se voltarmos a acabar ele não me apanha na mesma de antes. Por uma passei, serviu para aprender. Na segunda já ninguém me vê. E ele próprio admitiu que se eu tivesse sabido dar-lhe para trás, ele tinha voltado mais cedo.


Acredito que gostes muito do teu ex-namorado porque isso nota-se e, como te disse, já estive desse lado, sei bem o que é. Eu também gosto e sempre gostei muito do meu namorado, mas acima de tudo tenho que gostar de mim...e isso tem que ser superior a qualquer coisa que eu sinta por ele! Primeiro estou eu e SÓ DEPOIS é que está ele. Contigo tem que ser igual. É EM TI que tens que pensar agora, não nele. Nele já pensaste demais e ele pelos vistos não soube aproveitar. Agora é tempo de seguir em frente.
O que é nosso, a nós sempre volta. Se não voltar é porque não tinha que ser assim e nesse caso foi de certeza o melhor para ti!

 

No que toca ao blog, continua a escrever tudo o que sentes...foi uma das etapas que passei até conseguir recuperar, e é muito importante...deita tudo cá para fora através do blog, mas NUNCA (NUNCA mesmo) deixes que ele tenha acesso. Nem que tenhas que privatizar os posts, mas não o deixes ler coisas destas! Isto é apenas para tu desabafares e isso é muito importante.
Vai haver um dia que pura e simplesmente já não vais ter essa necessidade de falar ou escrever sobre ele. Não prometo que seja rápido, mas o dia chegará!
Até lá: FORÇA.

Autoria e outros dados (tags, etc)