Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



E de facto tenho todos os motivos para estar orgulhosa

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13

Uma das coisas que me preocupava em relação ao Príncipe William era como os meus amigos e a minha família iriam reagir quando eu o apresentasse como meu namorado oficial. Ainda não o fiz porque acho cedo, mas as pessoas sabem que estamos juntos. Os meus irmãos reagiram bastante bem (coisa que eu já esperava, porque um deles é amigo do Príncipe), a minha mãe respirou de alívio quando lhe contei todas as coisas que ele faz por mim e o quanto estou feliz, tenho noção que o meu pai desconfia (mas só quero confirmar quando for a altura certa, para não ser uma salta-pocinhas), e os meus amigos lá da terrinha já estão todos ao corrente da situação.

No entanto, faltavam os meus amigos de Coimbra. Não eram todos que me preocupavam, mas sim uma amiga em especial. Porquê? Porque, desde que fiquei solteira, ela tem sido a minha companhia constante. Aconteceram-nos mil e uma peripécias, metemo-nos em montes de aventuras, conhecemos imensa gente, fizemos parvoíces atrás de parvoíces, vivemos noites absolutamente loucas e, bem...digamos que ela acompanhou todo o meu tempo enquanto solteira (que, como devem imaginar, foi tudo menos sossegado). Tal como eu, ela também tinha ficado solteira mais ou menos na mesma altura, então fomos parceiras de crime durante esses tempos. O meu medo estava no facto de recear que a reacção dela fosse menos boa, dado que a existência de alguém na minha vida (alguém que eu leve a sério, leia-se) requer que a minha vida acalme um bocadinho o ritmo, por uma questão de respeito ao Príncipe.

Acontece que, depois de lhe dar a conhecer o detentor da minha atenção, aquilo que ouvi foi: "Pelo amor de Deus, não sejas estúpida e não o largues porque não vais encontrar mais nenhum igual e sabes disso. Já agora, onde é que o arranjaste? Há alguma loja com homens desses? É que se houver eu vou já lá", e a modos que isto me deixou toda babadinha. A verdade é que não é a primeira pessoa a dizer-me que sou uma rapariga cheia de sorte, que ele é maravilhoso, que não há outro igual, e isso deixa-me muito contente. De facto, tenho noção que sou uma sortuda e que ele é tudo o que sempre sonhei! Deixa-me inchada de orgulho, porque não precisou de fazer nada para conquistar as pessoas importantes para mim. Bastou ser ele mesmo e, de forma natural, caiu nas boas graças de toda a gente. E aqui estou eu, cada dia mais apaixonada pelo meu pirralhinho!


(tive que pôr este gif aqui porque me fez lembrar de mim e do Príncipe...é que os cabelos são absolutamente iguais... xD)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Essa coisa da solidão

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13

Em conversa com uma amiga, ouvi-a contar-me como se sentia chateada por um rapaz que andava sempre atrás dela ter deixado de andar. Quando lhe perguntei porque é que isso a chateava (dado que ela não queria nada com ele), respondeu-me o seguinte:

"Ele mandava-me mensagens de bom dia todas as manhãs. E sabes o que é acordar assim? Saberes que tens alguém que gosta de ti, que pensou em ti quando acordou, que se preocupou em desejar-te um bom dia...? Eu sinto tanta falta disso..."

E eu fiquei a pensar. De facto, às vezes o problema não é não estarmos apaixonados. É apenas não termos ninguém que se apaixone por nós e que, nem que por meros momentos, nos faça sentir que somos o mundo de alguém.


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pensem nisso.

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13

Se tu e o teu namorado (ou a tua namorada) trocassem de telemóveis por um dia, será que amanhã ainda estariam juntos?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

É fácil apaixonarmo-nos

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13

E é. É muito fácil apaixonarmo-nos, porque a verdade é que nos apaixonamos com o cérebro. E, se nos esforçarmos para gostar de alguém, acabamos por conseguir. Outras vezes nem "escolhemos", aquela pessoa aparece e pronto. Tem qualquer coisa que nos chama a atenção, qualquer detalhe que a torna interessante aos nossos olhos. Talvez seja a roupa casual que usa, o modo como deixa o cabelo cair, o perfume novo que tem ou os livros que gosta de ler. Não importa - há ali qualquer coisa que nos prende, que nos cativa. E quando damos por nós, puf!, estamos apaixonados.

Pois é, a paixão surge tão facilmente que até assusta. Ao longo da nossa vida apaixonamo-nos por tanta gente, de tantas formas diferentes. Mas não é aqui que está a dificuldade porque, como já disse, apaixonarmo-nos é algo fácil. Difícil é mantermo-nos apaixonados. Difícil mesmo é continuar a gostar daquele cabelo quando está despenteado, daqueles lábios que nos beijam ao acordar, do tampo da sanita sempre levantado por mais que o baixemos, da quantidade de cigarros que ele(a) fuma, da roupa espalhada por todo o lado, do dinheiro que ele(a) gasta em coisas inúteis. A dificuldade está em mantermo-nos apaixonados quando deixamos de ver aquela pessoa no seu estado mais arranjado e cuidado, e passamos a conhecê-la a fundo enquanto ser humano com defeitos.

Mas sou da opinião que uma boa relação não acontece com duas pessoas que se amam. Acontece sim com duas pessoas que se amam (claro) e que, acima de tudo, querem mesmo muito ficar juntas. Porque quando se quer a sério, nada é um impedimento. Quando realmente achamos que vale a pena e estamos empenhados nas coisas, elas tornam-se...fáceis. E muito, muito boas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

"While you're too busy looking for the perfect person..."

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13

Se há coisa que constatei, não só por experiência própria como também por observação da experiência alheia, quando nós (mulheres) sofremos uma grande desilusão amorosa temos tendência a partir em busca da pessoa perfeita. Pensamos que desta vez é que é, vamos encontrar aquele ser que sempre sonhamos ter ao nosso lado e apresentar às mamãs e aos papás, longe dos defeitos que a nossa última aquisição tinha. Vai ser giríssimo, deixará todas as outras com os nervos em franja, a nossa mãe vai adorá-lo, as nossas amigas vão ter inveja de nós e vai ser um consolo para a alma andar a exibi-lo pela rua. E isso não só fará bem ao nosso ego, como servirá perfeitamente para mostrar ao nosso ex que arranjámos alguém melhor que ele.

A questão é que isso é uma bela treta. Primeiro que tudo, nunca devemos procurar alguém com o intuito de mostrar ao outro o que deixou para trás e que estamos melhor agora. Não importa se temos alguém mais bonito, se no final se revelar tão mau ou pior que o anterior. Para isso tínhamos ficado onde estávamos. Também é igualmente um erro procurar alguém com base na aparência, no carro que conduz ou em qualquer outra "categoria" do género. É que, como a minha mãe diz, a beleza vai-se embora um dia. Os carros são substituídos, aquelas roupas passam de moda, e nada disso define o carácter de alguém. Mais importante que procurar alguém perfeito, é não procurar coisa nenhuma, porque o que é para ser nosso vem ter connosco na altura certa.

E sabem que mais? Não vai ser o mais bonito, o mais endinheirado, o mais estiloso, o mais inteligente, o mais nada. Vai haver sempre aquele rapazito todo jeitoso que vos anda a mandar mensagens, o outro que até conduz uma bomba de quatro rodas, ou um que seja digno de um catálogo da Calvin Klein. Mas que raio importa isso, quando encontraram aquele que vos faz rir, que vos ama acima de todas as coisas, que vos trata bem e que vos dá tudo aquilo que sonharam? É que, quando deixarem de procurar, vão ver que ele aparece. E quando deixarem de se preocupar com futilidades, vão saber olhar para ele com olhos de ver e notar que tem as pernas mais fabulosas do mundo, que cozinha como ninguém, que fica absolutamente lindo quando acaba de sair do banho, que o cabelo dele fica brutal quando está molhado, que as mãos dele são absolutamente perfeitas, que até é alto como vocês gostam, que se veste espectacularmente bem, que gosta das mesmas coisas que vocês e que, vendo bem, é a metade que vos faltava.


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Bucket List para 2013

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13
  • Ir a uma festa na praia;
  • Ser menos preguiçosa;
  • Perder peso;
  • Ir à neve;
  • Continuar feliz e contente com o meu Príncipe William;
  • Acabar de decorar o meu quarto em Coimbra;
  • Deixar o meu cabelo crescer (de novo);
  • Passar uma noite diferente no Dia de S. Valentim;
  • Passar um fim de semana fora com o Príncipe;
  • Acabar o meu álbum (à volta de 12 canções);
  • Ter muitos concertos;
  • Fazer o máximo de cadeiras que conseguir;
  • Passar uma tarde inteira a ver filmes da Disney (sim, Príncipe...vai sobrar para ti);
  • Disfarçar-me de qualquer coisa muito awesome no Carnaval e no Halloween;
  • Ter uma festa de aniversário bué da fucking fixe;
  • Tirar muitas fotografias;
  • Ter muitos projectos no ramo da música;
  • Ter mais um par de sapatos;
  • Trabalhar no Verão (ou noutra altura qualquer);
  • Voltar a ver Sex & The City desde a primeira temporada;

E é isto. Daqui a um ano venho cá ver o que cumpri. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"O Amor é um Fósforo"

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13

"Acho que o Amor é um fósforo. Acende-se, queima-se e morre. Não existe, por isso, o Amor duma vida inteira. É falso. O que pode existir é uma vida inteira onde todos os dias nasce um novo Amor entre os mesmos Amantes, que o Amor é coisa para um dia. Não mais do que isso.
Dois Amantes que estiveram juntos durante um ano apaixonaram-se trezentas e sessenta e cinco vezes nesse ano. Basta terem-se apaixonado trezentas e sessenta e quatro que, lá pelo meio, é mais do que certo que tiveram um dia triste. Um dia em que, não o confessando a ninguém, duvidaram daquilo que sentiam.
A dúvida faz parte do Amor. Surge sempre naqueles dias em que nós acordamos, mas o Amor não. São dias de sonolência, esses. E no entanto, essenciais para que nos apaixonemos de novo, logo na manhã seguinte, pela mesma pessoa."

Do fantástico Bagaço Amarelo. Porque, de facto, não é o amor que sustenta uma relação, já que gostar não é tudo. A forma como nos relacionamos, a maneira de tratar o outro, os objectivos na relação, a vontade de continuar...isso sim, sustenta os pilares desta "casa" que é o Amor.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

E depois derreto-me toda!!

por Quadrada, Quarta-feira, 09.01.13



E o melhor disto é que recebi esta mensagem quando ele estava ao meu lado. Mas alguém duvida que eu vim parar aos melhores braços, ao paraíso, ao lago dos cisnes?? xD

Autoria e outros dados (tags, etc)